Gás clandestino dá prejuízo de milhões

Fonte: Tribuna da Bahia

Cristiane Felix

Responsável por um prejuízo de R$ 840 milhões por ano na Bahia e fonte potencial de risco à vida, a venda clandestina do gás liquefeito de petróleo (GLP), conhecido popularmente como gás de cozinha, além de ilegal é um perigo iminente. De acordo com a Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP), a Bahia já soma três mil estabelecimentos clandestinos em Salvador, sobretudo em bairros periféricos, e todo o interior do estado. Para combater a irregularidade e intensificar a fiscalização, a ANP promove, desde ontem, na Fundação Luis Eduardo Magalhães (Flem), a III Reunião do Comitê Regional Nordeste I do Programa Gás Legal.

“Nosso objetivo principal aqui é lançar o Programa Nacional de Erradicação da Irregularidade, debater o problema da clandestinidade com os principais envolvidos, combater a prática ilegal e restituir a segurança ao consumidor”, afirmou Francisco Castro Neves, coordenador regional da ANP e chefe da Unidade de Fiscalização Nordeste. Ele ressalta que o GLP, além de produto de grande importância econômica e social, tem grande abrangência, estando presente em 95% dos domicílios do país tendo, inclusive, presença maior do que a energia elétrica e o saneamento básico.

Última atualização em Dom, 19 de Abril de 2009 13:24 Leia mais...
 

Revenda de gás é fechada em Itapemirim

Além do repassse ilegal de gás, a quantidade de botijões vendidos era maior do que a permitida e a revenda estava com a documentação irregular

Fonte: Gazeta On-line

Um depósito de gás de cozinha foi fechado nesta segunda-feira (28), na localidade de Garrafão, em Itapemirim. A ação foi da Agência Nacional do Petróleo (ANP) e da Delegacia de Defesa do Consumidor, e contou ainda com apoio da Polícia Civil do município e de Marataízes. A distribuidora repassava gás para vários estabelecimentos não têm autorização para comercializar o produto.

"Nos últimos dois meses nós recebemos dezenas de denúncias quanto à pontos de venda ilegal de de gás de cozinha aqui nos municípios do litoral sul do Espírito Santo. E nas cidades de Rio Novo do Sul, Iconha, Castelo e Cachoeiro de Itapemirim", explicou o delegado de Defesa do Consumidor, Everton Mauro Fernandes.

Além do fornecimento irregular de gás, a quantidade de botijões vendidos era maior do que a permitida pela ANP e o produto foi apreendido. "Pelo que a gente constatou, o estabelecimento dele tem autorização para comercializar até 480 botijões de gás. O que nós encontramos no depósito foram mais de 1.800 botijas e com o retorno dos caminhões que fazem a venda na rua, foi constatado que ele estava om mais de 2.500 botijões, mais de cinco vezes do que deveria", afirma o delegado.

O dono da distribuidora foi detido, mas pagou fiança de R$ 20 mil e vai responder em liberdade ao processo por crime contra a ordem econômica. A revendedora também estava com a documentação irregular. O alvará de funcionamento e o certificado de vistoria do Corpo de Bombeiros estão vencidos desde 2010.

Ainda de acordo com o delegado Everton Mauro Fernandes, as investigações vão continuar na região sul. "Agora que nós identificamos o distribuidor na região, vamos intensificar a fiscalização nos pequenos distribuidores ilegais, pessoas que estão vendendo gás em pequenos comércios", conclui.

Link: http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2011/03/noticias/gazeta_online_sul/noticias/788386-revenda-de-gas-e-fechada-em-itapemirim.html

Última atualização em Dom, 19 de Abril de 2009 13:24
 


Banner

Distribuidoras:

OnLine

Nós temos 3 visitantes online